quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Medicina Veterinária e suas áreas.

1-A Medicina Veterinária é composta por uma diversidade de áreas.


  • Acupuntura veterinária – tratamento de doenças através da aplicação de agulhas, geralmente em animais de pequeno porte (cães e gatos).
  • Anestesiologia veterinária – uso de anestésicos para aliviar dores e fazer cirurgias.
  • Bem-estar e comportamento animal – especialista no estudo da interação entre os animais e seu ambiente e também com outros animais, de espécie igual ou diferente.
  • Clínica e técnica cirúrgica – preparo de animais para operações e realização de cirurgias.
  • Clínica médica de grandes animais – atendimento de ruminantes, eqüídeos e suínos, diagnosticando doenças e acompanhando tratamentos.
  • Clínica médica de pequenos animais – atendimento de cães, gatos, roedores, aves e peixes, diagnosticando doenças e acompanhando tratamentos. O profissional pode se especializar em Cardiologia, Dermatologia, Odontologia, Oftalmologia, Ortopedia e Traumatologia.
  • Ecologia e gestão ambiental – atuação em empresas e órgãos públicos, elaborando projetos de desenvolvimento sustentável e estratégias de atuação a fim de preservar o ambiente.
  • Economia rural e gestão de agronegócio – administração de empresas que produzem, manufaturam e comercializam produtos de origem animal.
  • Farmacologia e terapêutica – especialista na elaboração de medicamentos e tratamentos de uso veterinário.
  • Fisiologia e endocrinologia veterinária – estudo das atividades vitais e glândulas dos animais.
  • Genética e Melhoramento Animal – pesquisa de melhoria genética, principalmente de rebanhos, como bovinos, para alcançar bons resultados na reprodução de animais produtores de alimentos e insumos.
  • Homeopatia veterinária
  • Inspeção higiênica, sanitária e tecnológica de produtos de origem animal – responsabilidade por vistorias em indústrias e locais de produção de insumos de origem animal (carnes, leite, pescado, ovos, mel e seus derivados)
  • Medicina e produção de animais aquáticos – criação de animais como peixe, camarão e lagosta.
  • Medicina e produção de animais de laboratórios – criação de animais utilizados em experiências em laboratórios, como ratos e coelhos.
  • Medicina e produção de animais silvestres – criação em cativeiro, principalmente para preservação da espécie, de animais como jacarés, capivaras e tartarugas.
  • Medicina veterinária legal – especialista em necropsia de animais para estudo para descobrir o motivo da morte.
  • Medicina Veterinária Preventiva – profissional que atua na prevenção de doenças em animais, podendo trabalhar com saúde pública, epidemiologia, zoonoses e planejamento em saúde animal, doenças infecciosas ou parasitárias e vigilância sanitária.
  • Microbiologia veterinária – pesquisas em laboratórios de vírus, bactérias, micróbios e outros seres microscópicos.
  • Morfologia veterinária – pesquisa das estruturas dos animais, como anatomia, histologia (tecidos), citologia (células) e embriologia.
  • Nutrição animal – elaboração de dietas alimentares para animais, principalmente os ruminantes e eqüídeos. O profissional pode se especializar também em agrostologia.
  • Parasitologia veterinária – estudo e prevenção de doenças causadas por parasitas.
  • Patologia clínica veterinária – pesquisa, diagnóstico e tratamento de doenças em animais.
  • Patologia veterinária – estudo de doenças em animais, podendo ser especializado em anatomia patológica, histopatologia e ornitopatologia.
  • Produção animal – acompanhamento de produções animais, como bovinocultura, bubalinocultura, caprinocultura, ovinocultura, equideocultura, suinocultura, avicultura, cunicultura, apicultura, sericicultura e estrutiocultura.
  • Radiologia e diagnóstico por imagem veterinária – diagnóstico de doenças através de ultra-sonografia, ressonância magnética, tomografia e videolaparoscopia.
  • Reprodução animal – desenvolvimento de pesquisas de reprodução nas áreas de andrologia, inseminação artificial, ginecologia e obstetrícia veterinária, produção “in vitro” de embriões, clonagem animal, transgênese animal, fisiologia e manejo reprodutivo.
  • Tecnologia de produtos de origem animal – estudo de tecnologias para melhorar a produção de insumos, como carnes, leite, ovos, mel e seus derivados.
  • Toxicologia Veterinária – pesquisa de substâncias tóxicas e venenos.


2- Uma das áreas que está se destacando dentre as outras é a Reprodução animal.



A exploração pecuária nacional nos últimos anos vem enfrentando enormes
dificuldades econômico-financeiras. Apesar dos notórios avanços tecnológicos
alcançados com novos conhecimentos científicos, e aprimoramento das
técnicas de criação animal, o gerenciamento inadequado, associado à falta de
organização administrativa das propriedades, vem contribuindo decisivamente
para a ineficiência operacional da atividade rural.
A reprodução de bovinos tem como finalidade a produção de bezerros e
bezerras, utilizando matrizes, a partir da maturidade sexual até o momento de
descarte e conseqüente substituição por novilhas (reposição), sendo que o ciclo
se repete de geração em geração.
O que se pretende por intermédio do maior e melhor conhecimento é a
aplicação das técnicas pecuárias avançadas e intensificar as parições, de forma que cada vaca, em idade reprodutiva, produza um bezerro por ano e este deva ser criado de forma sadia e desmamado com bom peso.
A reprodução pode ser definida como o período entre a concepção da mãe e
subseqüente concepção da filha. Conseqüentemente, os desafios reprodutivos
incluem uma multiplicidade de fatores, variando da fertilidade dos gametas,
mortalidade pós-natal até a infertilidade da cria.
Assim, a baixa eficiência reprodutiva é um reflexo de distúrbios que afetam
negativamente a função fisiológica das fêmeas e dos machos bovinos, por
intermédio da apresentação de síndromes tais como: anestro, repetição de cio,
mortalidade embrionária precoce ou tardia, aborto, retenção de placenta,
retardamento da puberdade e maturidade sexual. Esses distúrbios têm como
conseqüência: o aumento do período de serviço, a elevação do numero de
serviço/concepção, o aumento do intervalo entre partos, a redução da vida útil
da fêmea e descartes precoces de reprodutores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário